sábado, 22 de dezembro de 2007

Feliz Natal


E que 2008 traga bons acontecimentos a todos.
:)

sábado, 15 de dezembro de 2007

*suspiro*

Continuo gelada. Gelada e cansada.
Hoje, nem a tarefa de empilhar 500 kg de lenha me aqueceu. Os dias vão passando devagar e o calor não chega aqui...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Sadismo matinal...

Hoje de manhã, quando aqueci o leite dos miúdos no microondas (ok, já sei que é condenável mas é a única coisa que faço no microondas) reparei, ao abrir a porta, que tinha lá dentro uma formiga...
De olhos ainda semi fechados confesso que fechei a porta e a deixei lá ficar.
Escusam de se armar em esquisitos e sejamos sinceros... 'retirar a formiga de lá' significaria espetar-lhe com um dedo em cima, por isso qual era a diferença?!
Liguei o microondas a 750w como de costume e, ainda meio a dormir, vieram-me levemente à memória as imagens do filme 'A Mosca'. Pensei: ok, as ondas vão marar isto tudo e depois de comerem os flocos e beberem o leite os meus filhos vão transformar-se em meias-formigas e vai ser uma chatice ter de comprar tantos sapatos.
Qual não foi o meu espanto quando 2 minutos depois, bip bip, abro a porta e a formiga continuava impávida e serena... Nada de explodir, nada de fritar, nada de mudar de cor.
Já não se fazem formigas como antigamente! As cá de casa devem ser radioactivas!
Nature will always find a way...

PS - Agora posso experimentar com o vosso gato?

sábado, 1 de dezembro de 2007

Desabafos

Às vezes tenho a sensação que sou transparente e que as pessoas se lembram de mim na exacta medida em que precisam de alguma coisa.

Às vezes tenho a sensação de que se desaparecesse apenas os meus filhos iam dar conta...

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Fingers Crossed...



...for my new project.

Agora é só conseguir arranjar tempo para me sentar e rever o que escrevi...

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Yessssss!


Levei o meu velho corsa de '87 à inspecção e ele passou com "ZERO cáries"! Yeeeeeees! Menos uma preocupação...
:P

domingo, 28 de outubro de 2007


Muitos Parabéns, Amiga!

Que o dia seja muito bom e muitos happys returns!





PS-Acredites ou não e tinha 'guardada para te postar' a mesma imagem que tu colocaste no teu blog! lol

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Livros & Leituras...

Um pouco a reboque do Dia Internacional da Biblioteca Escolar, referido nos últimos dias nas notícias lá surgem as estatistícas portuguesas que lemos pouco, que os homens preferem os jornais que as mulheres são quem mais lê, blá, blá, blá...
Como consequência destes resultados lá o estado dispende o que lhe apetece e tenta encher o olho ao povo, mostrando serviço feito e apresentando inovadoras estratégias... Falo do Plano Nacional de Leitura, pois claro.

O plano Nacional de Leitura tem como objectivo central elevar os níveis de literacia dos portugueses e colocar o país a par dos nossos parceiros europeus. É uma iniciativa do Governo, da responsabilidade do Ministério da Educação, em articulação com o Ministério da Cultura e o Gabinete do Ministro dos Assuntos Parlamentares, sendo assumido como uma prioridade política.
Destina-se a criar condições para que os portugueses possam alcançar níveis de leitura em que se sintam plenamente aptos a lidar com a palavra escrita, em qualquer circunstância da vida, possam interpretar a informação disponibilizada pela comunicação social, aceder aos conhecimentos da Ciência e desfrutar as grandes obras da Literatura.
(blá, blá, blá...).

As palavras não são minhas, são extraídas da apresentação do projecto... E isto está tudo muito certo... ou, pelo menos, à primeira vista, parece.
Onde eu realmente queria chegar com este post era a um exemplo muito prático:

Um dos livros que eu mais gostei de ler chama-se "Pillars of the Earth", dum senhor chamado Ken Follett. É uma ficção histórica que se centra no século XII, em Inglaterra, onde um pedreiro persegue o sonho de construir uma catedral gótica, digna de tocar os céus e acompanha a vida na aldeia de Kingsbridge, dos seus aldeões, do prior, das lutas pelo poder, etc.

A versão original deste livro custa 4,5£ na amazon.uk.; 11,99$ na amazon.com e na fnac poderá ser adquirido por 10,69€. O que eu não consigo compreender é como é que traduzem este livro para português, editam-no em dois volumes que juntos ascendem à quantia de 40,50€ e esperam que os portugueses leiam mais?

É só um exemplo, claro, mas podia dar-vos mais cem.
Pois sim... é mesmo com Planos Nacionais de Leitura que 'vamos lá'...



PS - Só queria acrescentar que o inglês 'que tenho'
é o que aprendi na escola até ao 11º ano.

domingo, 21 de outubro de 2007

Ainda a C.I.F.

Haja ALGUÉM que partilhe da minha opinião!
[ ou o contrário, que eu partilhe a dele mas a ordem dos factores não altera o resultado]

sábado, 13 de outubro de 2007

Tenho saudades...

...de saltar ao elástico e de subir às árvores...


quarta-feira, 3 de outubro de 2007

C.I.F.

Já algum de vocês ouviu falar de
Funcionalidade, Incapacidade e Saúde?

Pois vou-vos contar... EU NÃO VOU FAZER UMA ÚNICA.
Com tanto papel que me querem impingir sobra-me cada vez menos tempo para ENSINAR.
Eu trabalho em função do processo, não em função do produto. Tenho pena que a Srª Ministra da Educação só pense nos resultados, nas estatísticas, em 'fazer bonito'. Eu trabalho com mini-pessoas, com seres vivos que pensam e que querem descobrir coisas para além dos resultados matemáticos dos exercícios. Pessoas que vivem o percurso até lá chegar e que este pode ser muito mais rico que o resultado em si.
Se a Srª. Ministra quer acabar com os alunos de Necessidades Educativas Especiais, com as aulas de apoio individualizadas, com os currículos próprios, com os currículos alternativos, com os planos educativos individuais, com a figura do Professor de Apoio, etc. e cometer a hipócrisia se querer que as escolas desenvolvam projectos de inclusão mas optar por uma política de segregação e classificar as crianças simplesmente entre deficientes e não deficientes para não ter de pensar 'nas que estão pelo meio'... não conte comigo. Cada miúdo que eu tenho 'à frente' é um miúdo.
Não vou fazer uma única CIF, garanto!

terça-feira, 2 de outubro de 2007

"Eu permaneço optimista, talvez porque é para mim
uma contradição ser simultaneamente
pessimista e educador"

sábado, 29 de setembro de 2007

My New School...

...is green, green, green!


quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Parabéns, filha!



6 Anos...

Já?!

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

'Duck' Tape...

Se bem que (grande parte graças ao L.e a vocês) não me sinta muito em baixo (ou tente convencer-me disso a mim própria) tenho a sensação que ando 'colada com fita cola'...
Especialmente o sorriso que se me estampa na cara...
É melhor não procurar atrás das orelhas... ela deve estar lá.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O Corpo Humano...

...essa maravilha.
Depois de tentar segurar uma coisa que já não existia o meu corpo resignou-se entrou em paz comigo ao fim de dois meses. A integridade física ficou resolvida por si, sem internamentos nem intervenções e eu emergi do estado de pânico em que mergulhei. Da parte psíquica nem quero saber...
Logo já durmo sem pesadelos.
Outras previsões não se fazem cá para estes lados...

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Eram boas notícias a mais...

Na 2ª telefonaram-me a dizer que tinha surgido uma vaga para a M. entrar para a primeira classe. Ela estava matriculada condicionalmente por só fazer anos a 27 de Setembro.
Na 3ª fui colocada, embora sendo um horário reduzido (12 horas) é perto de casa. Vou ganhar muito menos mas também não vou gastar tanto em deslocações pois em vez de 64 kms diários só vou fazer 24.
Na 4ª perdi o bébé (que já tinha 11 semanas)... Esperei tanto para vos contar e depois esfuma-se tudo tão depressa...

domingo, 9 de setembro de 2007

Para meio entendedor...

... e porque não há só notícias más.
... e porque eu tinha dito 'antes dos 40'.
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Não Colocado...

Nada que eu não estivesse à espera ou que não tenha sido comum aos últimos 9 anos...

domingo, 2 de setembro de 2007

23º Passeio de Motas Antigas

Antes de ter ficado grávida do meu primeiro filho andava, por vezes, de mota com o meu +1. Ele é um apaixonado por motas antigas e nós tivemos uma Vespa, uma BMW e uma AJS só para passear de vez em quando. Arrastada por ele eu lá ia ver outras belezas a Sintra no 1º sábado de Setembro.
Este ano, e apesar de não termos mota nenhuma, resolvemos ir no próximo sábado passear a Sintra e levar os miúdos para verem.
Como de costume o Moto Clube de Sintra organiza nesse dia um dos mais antigos encontros de motos clássicas do país. É um acontecimento a não perder por quem gosta de ver estas peças (mesmo que não tenha nenhuma!) pois o nível de motos, ciclomotores e scooters que costumam comparecer em Sintra é bastante alto quer em qualidade quer em quantidade.

Os motards apresentam as motos de manhã e fazem a sua saída para um passeio e almoço de confraternização. Nós, os espectadores, além desta saída podemos sempre dar uma voltinha por Sintra e voltar mais tarde, à Pç. de São Pedro, onde as motas são colocadas em exposição para todos as podermos apreciar. É também possível realizar-se algum bom negocio pois há sempre quem tenha motos à venda (restauradas e por restaurar) e, paralelamente há uma feira de peças usadas onde se pode encontrar aquela peça que faltava para o restauro de alguma relíquia.
Este ano foi assim:



quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Baby-Osga

Ao contrário das suas amigas histéricas estas são bem sorrateiras e só aparecem de noite... onde ainda resta um quentinho agradável que a tijoleira acumulou durante o dia.

Lagartixitas-baby costumo ver muitas por aqui (não nesta altura do ano) mas às suas primas osgídias nunca tinha visto tão pequeninas. Ontem a despedir-me duns amigos e a fechar o portão dei com esta miniatura cuja fotografia a faz parecer enorme mas que, na realidade-ao-vivo-e-a-cores, não tinha mais de 4 cm. Cabeçuda e gordinha na pança tinha mesmo ar de bébé.

Uma baby muito cool... que eu não podia deixar de deixar para a minha amiga V. que as adooooora, apreciar... Enjoy!:)

The Unread Authors Challenge

Tendo o meu ano de 2007 sido tão escasso em leituras decidi entrar neste desafio com a C. e a A., aproveitando para libertar o pó a uns quantos desgraçados que tenho ali ao tempo a chamar por mim...
É um desafio engraçado e pouco stressante. Consiste apenas em ler 6 autores novos (para mim) entre Setembro de 2007 e Fevereiro de 2008. Coisa pouco exigente, portanto. Se desejarem saber mais pormenores podem visitar este blog.

As minhas escolhas (sujeitas a alterações, claro) serão:
♥ Outlander, Diana Gabaldon
♥ The Bad Mother's Handbook, Kate Long
♥ The Lost Art of Keeping Secrets, Eva Rice
♥ Heart of Ice, Alys Clare
♥ At Home in Mitford (Mitford Years), Jan Karon
♥ A Fórmula de Deus, José Rodrigues dos Santos

Algumas alternativas extra caso não me apeteça pegar nalgum dos anteriores:
♣ The Reading Group, Elizabeth Noble
♣ The Genesis Code, John Case
♣ Angry Housewives Eating Bon Bons, Lorna Landvik
♣ Any by Cathy Kelly
♣A Booke of Days, Stephen J. Rivelle

_____________________

When it comes to reading 2007 hasn't been a very good year for me, so I decided to join this challenge along with my friends C. and A.. It's an excellent opportunity to read a couple of books that have been in my TBR pile for ages getting all dusty.
It's a fun challenge and not very stressing, I only have to read 6 new to me authors between September 2007 and February 2008. Easy peasy!
My choices are above with some extra ones.
:)

terça-feira, 28 de agosto de 2007

[porque me apetece e porque ela(s) sabem para quem é e só isso é que interessa...]

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Home again...

Uma semaninha que passou num instante.
Mergulhos, descanso, risadas e miminhos dos meus pintos com fartura. Ainda sobrou tempo para dar uma saltada à Fatacil e os miúdos adoraram os cavalos Lusitanos e as cabritas do Algarve.
Para poder brincar com eles só consegui ler dois livros mas, apesar de estamos de volta, continuamos de férias por isso ainda tenho muito tempo para pôr as leituras em dia. :)

domingo, 26 de agosto de 2007

Ainda a propósito do post anterior...

Fazer anos não tem piada nenhuma mas fazer festas sim! Sobretudo se vierem acompanhadas de duas amigas queridas e mais uma prenda muuuuito deliciosa e mais dois frascos de Lemon curd e mais um jantar especial e mais umas conversas boas e mais, e mais, e mais... :P


PS - Se se portarem bem eu empresto...

terça-feira, 14 de agosto de 2007

I will be...

... enquanto estiver fora.
Portem-se bem cá, sem mim.
:)

Até ao meu regresso...

Amanhã vou para fora...
Namorar, descansar, dar jinhos aos meus pintos, tomar umas banhocas e ler, ler, ler.
Regresso dia 22. Hold the fort!
Fiquem bem.

sábado, 11 de agosto de 2007

400689, 400259, 350697, 1512, 1510...

Mais um ano, mais um concurso, mais números, mais opções... Sempre sem certezas.
Tal como calculava, ainda não me serviu de nada o tempo que perdi, os beijos que não dei aos meus filhos e as noites que não dormi. Já sabia que o investimento ia ser assim...

Este ano voltei a concorrer APENAS com habilitação própria e SE por acaso conseguir colocação E com horário completo é que, no PRÓXIMO ano me poderei candidatar com habilitação profissional e sim é que o estágio já contará e TALVEZ faça diferença ter andado a perder noites feita parva...
Por agora estou na mesma como sempre. Desempregada a partir de 31 de Agosto, com 126 hipóteses de horários, escolas, concelhos escolhidos. O que vale é que ao fim de 10 anos já sou imune :)
A ver... Tenho a certeza que 2008 vai ser um grande ano.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Book meme

Mais um desafio que estava por responder. Este foi-me proposto pela BeHappy...

1. Número total dos livros que possuo:
Espalhados cá por casa perto de uns 600. Na totalidade uns quantos mais, perto de 1000, talvez. Tenho pouco mais do que isso registado na minha biblioteca virtual, mas, 'pelos caminhos da vida', já fui libertando muitos.

2. Último(s) livro(s) que comprei:
The Double, José Saramago (para mandar para os EU)
Ouro no Túmulo, Terry Deary (para o meu M. pequenito que é fã do Egipto)
O Mistério do Talismã de Jade, Blue Balliett (porque li o 1º e achei piada)

3. Último livro que li:
State of Fear, Science or Politics?, Michael Crichton
.
Um escritor que gosto muito e cuja obra tenho acompanhado de perto. Dos cerca de quase 20 livros de ficcção dele não devo ter lido apenas uns 3. Tenho a (por vezes, péssima) tendência de ler a totalidade da obra dum mesmo escritor... Este livro é deliciosamente actual, cheio de referências científicas que nos fazem ficar a pensar na possibilidade das tão anunciadas catástrofes ecológicas serem, na realidade, uma farsa.

4. Cinco livros que são muito importantes para mim:
Nunca consigo responder objectivamente a esta questão. Sou pouco dada a rankings e a 'atribuição de estrelas'. Muitos livros são importantes em determinadas fases da nossa vida. Uns porque simplesmente gostámos de os ler na altura (e se os fossemos reler já não sentíríamos o mesmo), outros porque naquele momento particular nos disseram alguma coisa. Para quem, como eu, se lembra de ler desde 'quase sempre', ou seja, desde os 8 ou 9 anos é difícil de eleger apenas 5.
As colecções dos '5', das 'Gémeas' e do 'Colégio das Quatro Torres' marcaram a minha infância. Livros como 'Cem anos de solidão', 'Capitães da Areia', 'A casa dos espiritos', 'Viagem ao mundo da droga', 'Perguntem a Alice' atravessaram, entretiveram-me e marcaram-me na minha adolescência... Graças ao recheio das estantes da família clássicos como Steinbeck, Dostoievski, Dumas, Maugham, Eça, também estiveram sempre à mão... Marcantes? De todo! Acho que actualmente não me apeteceria reler nenhum!
É escusado, não consigo escolher 5 livros... Hoje em dia tenho alguma preferência por histórias relacionadas com obras de arte e tenho uma severa incompatibilidade com poesia. Tenho preferência por alguns escritores e tenho livros dos quais gostei muito, claro. De qualquer modo não os posso considerar como importantes.

5. Passo o desafio aos seguintes blogs:



QUERO É VIVER, Post de continuidade #1

QUERO É VIVER!



Aqui há pouco tempo li num blog qualquer que quando não temos nada para dizer inventamos, assim, uns posts de continuidade... Umas frases, uma imagem, uma musiquita... Vão tapando uns buraquitos, acenando levemente só para mostrarmos que não fugimos de casa, entretendo quem nos vem ler.
Esses posts de continuidade têm sempre, por vezes até inconscientemente, uma mensagem. Amo os meus amigos. Eles fazem parte de mim.
Interessa-me o que está para vir, sim... Quero é viver!
Aguenta-te, C.


Vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver

Amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será
mais um prazer

e a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com a idade
interessa-me o que está para vir
a vida em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar, vou fugir ou repetir

vou viver,
até quando, eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver
amanhã, espero sempre um amanhã
eacredito que será mais um prazer

a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com idade
interessa-me o que está para vir
a vida, em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar vou fugir ou repetir

vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver,
amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será mais um prazer

sábado, 28 de julho de 2007

Rockin' Girl Blogger



Uau, este blog ganhou um prémio! O bloglines não me tem actualizado as postagens dos blogs por que viajo todos os dias e isto passou-me despercebido.

O meu blog começou por uma brincadeira de Verão há tanto tempo atrás e continuou por aqui fora, muitas vezes com apenas desabafos, outras com alguns acontecimentos engraçados, outras ainda com acontecimentos mais sérios e outras sem nada para dizer... Há uns quantos blogs que não passo sem ler diariamente e achei piada sentir, com este prémio, que o mesmo se passa em relação ao meu, com algumas pessoas.

Brigado A. :)

Way to go girs! You are most welcome!

terça-feira, 3 de julho de 2007

The 7 random thing meme

A Fflloorr nomeou-me há algum tempo para este Meme mas, sinceramente, nunca sei o que hei-de escrever. Resolvi começar e experimentar a ver no que dá em vez de me pôr a pensar muito no assunto...

Regras: Cada pessoa escreve sete factos casuais sobre a sua vida. Depois passa o desafio a outras, deixando um comentário no seu blogue para que essa pessoa saiba que foi desafiada.


1. Sou uma pessoa que suporta bem uma cadência irregular de sono. "Desregulei o sistema" no 12º ano quando fui confrontada com uma média alta para entrar na faculdade e nunca mais me recompus. Ir ou não à cama por uma noite é-me completamente igual, acreditem ou não, e nem por isso fico muito chata de aturar no dia seguinte.
2. Tenho muita necessidade de ter tempo para mim. Especialmente, em contacto com a Natureza. Isso não significa que seja alérgica a pessoas (ou que seja altamente ecológica), eu acho que é mesmo só uma ligação especial com os elementos já que ficar dentro de casa não 'funciona' da mesma maneira. Umas horas de isolamento com um livro (desde que seja numa esplanada de praia) ou umas horas sentada num penhasco qualquer ao pé do mar vão servindo mas, dias há, que me apetecia começar a andar pela Serra da Arrábida fora e não ter de pensar 'está na hora de voltar para trás'.
3. Gosto imenso de ler. Em miúda, como tinha algum receio de ficar sozinha em casa, passava as tardes dos longos verões a ler para o tempo passar mais depressa até às 18h, hora de chegada dos pais... Comecei pela Enid Blyton e li tudo o que havia para ler em casa. Dos clássicos (Ivanhoe, Conde de Monte Cristo, Mosqueteiros, etc) aos clássicos (Hemingway, Maugham, Dostoievsky, etc) marchou tudo. Hoje em dia não teria paciência para ler alguns desses livros e sou mais selectiva. Sou, por exemplo, incapaz de pegar num livro de poesia, num de auto-ajuda e tenho alguma compatibilidade com as 'indianices'...
Tomei contacto com um site de partilha e troca de livros (BookCrossing) há 4 anos atrás e tenho conhecido pessoas, escritores e livros fantásticos desde então. É bom podermos falar com quem partilha os nossos gostos e nos fomenta a curiosidade.
4. Comecei a namorar com o meu marido, andávamos no 2º ano da faculdade. Estamos juntos desde então (Novembro de 1989) e isso faz-me sentir que o tempo não passou por nós. Continuamos a brincar e a rir como há 18 anos atrás e, sinceramente (e apesar de já termos dois filhos), não consigo olhar para mim como uma mulher à beirinha dos 40. O corpo contradiz-me todos os dias mas a cabeça continua a dizer-me que só tenho 20 anos...
5. O que faço profissionalmente não foi a minha primeira escolha. Tornei-me professora por opção depois de ter o meu primeiro filho. Gosto do que faço, adoro as crianças com que contacto mas é uma actividade que não me satisfaz completamente. O que eu gostava mesmo era de trabalhar no ramo de hotelaria em termos de gestão ou ter uma creche, por exemplo e, também, ter tempo de sobra para pintar e fazer arraiolos.
6. Fiz ginástica de competição (Trampolins) durante quase dez anos no Sporting (só porque era o clube que ficava mais perto de casa...) com treinos de 3 horas, 6 dias por semana e fins de semana constantemente ocupados. Agradeço aos meus pais a paciência que tiveram em andar atrás de mim durante todo esse tempo (o meu próprio pai era um entusiásta já que, também ele, foi praticante que Ginástica Desportiva Masculina no Lisboa Ginásio Clube).
Desisti quando entrei na faculdade por não conseguir disponibilizar tantas horas por dia para treinar e mudei-me para uma classe de Ginástica de Representação, muito conhecida na altura, e que 'só' treinava 3 vezes por semana. Ainda hoje tenho saudades da intensidade física da prática desportiva e sou espectadora assídua dos blocos de ginástica, aquando das transmissões dos Jogos Olímpicos. Ultimamente, por levar os miúdos à natação e ao karaté ando com vontade de voltar a fazer qualquer coisa...
7. Tenho um feitio lixado de aturar. Estou quase sempre disponível para os outros mas dificilmente falo de mim própria e sou muito faltada de paciência. Acho que a maneira como eu acho que as coisas devem ser feitas é que é a certa e delego as tarefas com dificuldade o que, em certas alturas, me faz andar de tal maneira sobrecarregada que ainda fico pior de aturar. É um ciclo que tenho de combater pois quem 'apanha por tabela' são sempre 'os de cá de casa'... De qualquer forma sou uma pessoa pacífica, muito emotiva, que chora e ri com muita facilidade e que gosto de estar constantemente a brincar (o que nem sempre é bem entendido...).
7a. Sou das pessoas mais gulosas que conheço e tenho a sorte de ser muito saudável. Tenho a tensão muito baixa e nada de colestrol ou açúcares perigosos. Era bem capaz de trocar um ou outro almoço apenas pelas sobremesas por isso podem ver... O meu peso anda sempre para cima e para baixo (mais para cima, claro) e tenho, por isso, muita dificuldade em fazer dieta. Além do mais detesto beber água... o que poderia ajudar...

Afinal nem custou muito responder a este meme. Assim que se começa a escrever lembramo-nos sempre de mais coisas... já ia lançada no 10...


Passo agora o desafio a quem lhe apetecer responder.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

A realidade virtual do mundo educativo

A recente polémica à volta dos erros ortográficos e aritméticos nas provas de aferição do 4.º e 6.º anos mostrou algumas das origens da nossa catástrofe educativa (porque, vale a pena lembrar, vivemos uma catástrofe educativa...).

Em declarações à agência Lusa (29/05/2007, 14.39), o responsável do ministério, desmentindo "liminarmente" a acusação de não se ligar aos erros, explicou: "Não faz sentido penalizar a incorrecção ortográfica na primeira parte, quando o que se pretende perceber é se o aluno compreendeu ou não o texto".

Esta indignação é o elemento mais revelador do caso. O ministério gasta um dinheirão num exame nacional a fingir, pois as notas não contam para os alunos. Depois, desperdiça a informação recolhida, omitindo um aspecto quando avalia outro. Finalmente, considera tudo isto como "técnica de avaliação". Talvez daqui a anos, quando estes jovens escreverem mal um relatório que mandam ao patrão, se justifiquem dizendo que não é a sua ortografia que está a ser avaliada. Como é possível pessoas inteligentes dizerem tais disparates? (...)

O Ministério da Educação português é um bom exemplo de como um sistema autodeterminado pode disparar em sentidos impenetráveis e incoerentes. A sucessão de repetidas reformas, mesmo que justificadas individualmente, criou um conjunto inconsistente e delirante, que hoje até gasta fortunas em testes a fingir, que avaliam aos bochechos. (...) Uma potência estrangeira que quisesse sabotar o nosso progresso dificilmente faria pior.

João César das Neves, professor universitário
notícia completa

sábado, 23 de junho de 2007

Book Meme vs Desafio "Página 161"

Apanhada pela Snow e pela Cosy aqui venho dar resposta.
Há muito tempo que não fazia um desafio destes...

Book Meme #161 :
1. Pegar no livro mais próximo
2. Abri-lo na página 161
3. Procurar a 5.ª frase completa
4. Colocar a frase no blogue
5. Não vale procurar um livro fixe, têm de usar o que estiver mais à mão
6. Passar o desafio a outras pessoas

"Pei", she said, when she finally understood what the woman was asking...
in: Women of the Silk, Gail Tsukiyama


As meninas que vou marcar, caso lhes apeteça responder, são:

quarta-feira, 20 de junho de 2007

"A cultura é a busca da nossa perfeição total mediante
a tentativa de conhecer o melhor possível o que foi
dito ou pensado no mundo, em todas as questões
que nos dizem respeito

Matthew Arnold

terça-feira, 19 de junho de 2007

Back in town, gilrs!

Hoje acordei com um sorriso estupidamente estampado na cara... O quê? Não há mais trabalho nenhum para fazer?! Tchhh, que desgraça, a boa vida...
O L., no gozo, já me disse: Põe um anúncio no jornal... "Tabalhos, fazem-se!" De quê não interessa, tu fazes e pronto.
Agora posso finalmente voltar aos eixos (porque é que esta expressão se usa sempre no plural?) e pegar nos meus LIVROS...
*suspiro* Ao longo de árduos 8 meses eles foram-se acumulando em duas estantes e já perdi a conta às leituras que deixei para trás...Admira-me é como eles, zangados comigo, não fugiram entretanto, de casa... Bom, alguns fugiram mesmo para as mãos de outros alguém com que os partilho mas é gente certa e voltam sempre a casa...
Olhem só algumas das delícias que tenho a gritar por mim: ♥ Women of the Silk, Gail Tsukiyama ♥ The Forest Lover, Susan Vreeland ♥ Captain Corelli's Mandolin, Louis de Bernières ♥ Left Behind, Tim LaHaye & Jerry Jenkins ♥ White Oleander, Janet Fitch ♥ O Clube de Dante, Matthew Pearl ♥ City, Alessandro Baricco ♥ O Livro dos Dias, Stephen Rivelle ♥ A Árvore do Céu II, Edith Pargetter ♥ e tantos, tantos outros...
So... give me a break... Go and see if i am somewhere else, ok?
;)
Illustration by Carla Pott

Já está...

... o estágio acabou e parece que o ano passou a correr.
Para trás fica uma recepção num anfiteatro cheio e alguém a dizer 'este ano vai doer, esqueçam a família, esqueçam as horas de sono' (ora pois, então não é que se confirmou?!). Para a frente continuam as incertezas, as dúvidas sobre como se desenvolverão os concursos e a questão de este esforço ter serviço para alguma coisa ou não.
À posteriori é sempre mais fácil de planear o que teríamos feito se apenas agora comecássemos e há sempre coisas que me deixam a pensar. Sou assim, pronto e nem me irrito em ser deste modo no que a estas coisas diz respeito. Não é uma posição de inveja já que, se voltasse atrás não o faria, mas continua a fazer-me confusão como outros não têm problema em o fazer (já explico...).

Ontem soubemos a nota da 3ª disciplina, fruto de um trabalho aborrecido (resumir uma enooooooorme colectânea de textos, apresentar um comentário crítico e mais um comentário a um livro ou a um artigo).

Qual meninos da primária (condizentes com o modo como ela nos trata) lá rumámos às 11 da manhã, ao gabinete da Srª Profª Drª, penteadinhos e aprumadinhos.
Ah, pois, de gabinete! E é preciso tocar à campaínha e tudo...
O que vale é que também há por lá outros docentes, colegas com quem se pode conversar e que nem sabem onde pára a chave do seu próprio gabinete tal importância dão aos academismos (Obrigada, Sara B., pelas nossas conversas).

Já na cafetaria da faculdade trocámos impressões, rimos com os comentários uns dos outros sobre a romaria matinal e gozámos quem ainda estava a ultimar as últimas mariquices ao trabalho que deveríamos entregar às 4. Pelo meio, houve quem não tivesse problema nenhum em afirmar que tinha dado os textos do tal trabalho a resumir a uns universitários (mediante pagamento claro) ou o trabalho completo a fazer ao marido (e pelo qual obteve 19 valores)...
O meu primeiro pensamento não foi 'como é que eu não me lembrei disso?', foi só 'que gente interessante com quem vou concorrer...' É que o main issue neste estágio todo foi mesmo a questão do TEMPO, esse maldito. Tivéramos nós mais tempo para fazer cada um dos trabalhos e decerto teríamos feito melhor... E quem 'dá trabalhos a fazer' fica com o dobro do tempo para fazer outro e isso não é justo para com quem, depois, concorre em igualdade de circunstâncias...
Só vos digo... vão chegar a Professores Titulares num instante!
Eu cá prefiro que me deêm 10 e 11 turmas sem cargos adicionais nenhuns (que é o que dá pontos) porque a razão de ser de eu ir todos os dias para a escola são mesmo os miúdos...
;)


Ah, pois, eu ´"só" tive 17 mas fui EU que fiz o trabalho e nem sabem o que me custou ler aqueles textos todos. Também vos digo outra coisa (ai que agora é que viro santinha!!!) a cadeira pode ter sido mal organizada, a docente pode ter sido difícil de aturar, os textos podem até ter sido demais mas se o trabalho não fosse estruturado como foi provavelmente eu não os teria lido e, lá pelo meio, havia alguns que nos obrigavam a reflexões interessantes. Sou estupidamente certinha...

sábado, 16 de junho de 2007

Follow this root to find the difference...

Tenho finalmente a Profissionalização a acabar...
Entrego 2ª feira o último trabalho. Cento e sessenta e uma páginas de teorias e dissertações e mais um volume de anexos... Para trás ficam dois 17s a Psicologia e Sociologia da Educação e dois outros grandes trabalhos dos quais ainda não saiu nota nenhuma.
Foi um ano complicado de gerir. Por um lado uma ocupação-forçada cujo trabalho se revelou exaustivo, por outro uma família, uma casa, uma profissão.
O maior agradecimento que tenho a fazer é sem dúvida ao L e aos meus M&Ms. Eles foram os principais prejudicados com este estágio. A eles, antes de a quaisquer outros, devo o profundo agradecimento pelo modo como me aturaram quando eu estava presente, e sobretudo como aceitaram que, muitas vezes, eu não estivesse. Ao L., principalmente, meu companheiro de vida e vítima primeira da minha irascibilidade com quem fui partilhando as minhas preocupações, os meus avanços e recuos e que me aturou com uma infinita paciência pois já tem a sua profissionalização feita há quase 10 anos...
A execução de todos estes trabalhos não teria, também, sido possível sem a generosidade constante de amigos mais próximos, traduzida pela tolerância que tiveram em aturar-me, a quem quero deixar aqui expresso o meu agradecimento. Especialmente à Srª do Cosyworld, cujas palavras de encorajamento foram constantes e que teve a paciência de se oferecer para ler e corrigir tudo o que eu escrevi quando eu já mal articulava palavra e mesmo sendo completamente fora da sua área.

Outro agradecimento que não posso deixar de fazer... a quem inventou o Pharmaton. Sem ser uma droga e sem causar dependência este multivitamínico com lecitina e extracto puro de Ginseng fez milagres por mim, ajudando-me a atravessar noites sem dormir, sem me deixar sentir cansada e sem perder a capacidade de concentração (e coerência de discurso!). Aconselho vivamente a quem se sinta um pouco em baixo, cansado mesmo após o descanso ou a quem precise de uma energia extra. 5*****

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Arrrrrrrrrg!!!

Agora que acabei a 3ª série da Grey's Anatomy, de enfiada, expliquem-me como é que vou sobreviver até Setembro sem saber o que se vai passar com o Burke e a Christina, a Izzie e o George e a Callie, o McDreamy e a Grey, a Red e o Louro?!

Vá, EXPLIQUEM-ME!!!!

E porque é que a 3ª season foi tão deprimente?! Caramba! Não havia uma única personagem que pudesse acabar feliz? Umazinha?!

Raio de dependência esta de séries...

sábado, 9 de junho de 2007

♥ ♥ ♥ C & P ♥ ♥ ♥


Uma das fotos mais bonitas do dia. Roubada a um dos t-a-n-t-o-s álbuns que testemunharam o dia maravilhoso que passámos juntos.
Foi bom partilhá-lo convosco.
Sejam felizes, Amigos.

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Ai que bom que é morar no deserto...


Por acaso, a gente até gosta assim do nosso desertinho...
Os meus filhos, tadinhos, não têm escola. Só o agrupamento da nossa localidade engloba 3 primárias...
Básicas e secundárias também não existem. De Almada a Setúbal eu concorro todos os anos a cerca de 90 escolas completamente inventadas por mim...
Hospitais também não temos. O Garcia da Orta, o Hospor, o de Setúbal, o do Outão, o do Barreiro e o do Montijo são só miragens.
Indústria também não há. A AutoEuropa não existe tal como a Secil (na Arrábida), a Coca-cola (aqui ao lado, na Quinta do Anjo) ou os vinhos J.M.F. e J.P. (em Azeitão). Tudo fachadas de cartão ou ainda não tinham percebido?!
Hoteis, então, nem pensar! Sesimbra já deve ficar na costa de África, o Meco é uma Ilha, e a Caparica deve pertencer a Cascais, não?

Agora, o Sr. ministro,
decidiu corrigir-se... Diz que quem não tem argumentos deturpa a realidade, que estava a referir-se apenas às possíveis localizações do Aeroporto (Rio Frio, Poceirão e Faiais), vagamente povoadas, que o deserto era apenas a 'zona de implantação do aeroporto'. Que sabe muito bem que "Almada, Montijo e Setúbal" têm gente e que não estava a referir-se "ao norte do Alentejo na sua generalidade".

Ufa, FICO MUITO MAIS DESCANSADA!!!!!
Primeiro porque tomei conhecimento que EU é que deturpo a realidade, segundo, fiquei a saber que afinal não vivo sozinha deste lado e terceiro porque parece que agora sou norte-Alentejana. Mudei de casa e não dei por nada, foi?
Só não sei onde é que o Sr. Engº fez a primária ou o 2º ciclo mas gostava de saber (para NÃO pôr lá os meus filhos)... É que Setúbal pode ser o distrito mais recente mas é o nosso 8º maior distrito e engloba 13 municípios e não apenas os 3 por ele referidos...
Mas pronto, agora a sério, Sr. Ministro (se quiser saber a nossa opinião...) é que nós, os Alentejanos do norte, também não queremos cá Aeroporto nenhum... o Sr. escusa de atravessar as pontes porque deste lado não há NADA, ok?





quinta-feira, 31 de maio de 2007

The Last Knit

Não tenho tido tempo nenhum para vir aqui mas hoje recebi
ESTE VÍDEO
que já conhecia e lembrei-me de o postar aqui.
Fez-me lembrar a Fflloor e a Tho, as damas crocheteiras.

Cuidado com as agulhas! Há vícios perigosos!
:P

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Luscious Chocolate Dessert...

Para variar a depressão completa que tem sido este blog (e os meus dias...) e como me andaram a fazer inveja com uns chocolates de aspecto tão divinal, que me deram vontade de ir conhecer uma loja fabulosa a Madrid, não resisti a dar-vos conta duma receita nova que fiz para um jantar onde vou amanhã.
É um doce que se congela (e se aguenta meses assim) e por isso já o fiz hoje para ter tempo de solidificar. Pode ser feito e guardado na arca para presentear visitas inesperadas. Tcharam! Apresento-vos a:
.
PS - Então e não é que ficou mesmo tão deliciosa como parece?! Tinha apenas um pouco de gelatina a mais (eu abusei com receio que ele ficasse mole e, afinal, não valia a pena). Só vos digo que salpicado com amêndoa moída e torrada fica demais. A repetir, sem dúvida!


Ameno-Era

terça-feira, 15 de maio de 2007

Que caminho?

Que caminho, este o meu, que me leva não sei para onde? Que Cruz a de termos de nos dedicar a coisas cujo propósito é incerto. Onde se procura o sentindo de tudo isto? Leva-me! Leva-me daqui!

Enfim, é o meu estado de espírito de hoje... (música no post seguinte):


Ameno
Dori me
Interimo adapare
Dori me
Ameno, ameno
Latire
Latiremo
Dori me
Ameno
Omenare imperavi
Ameno
Dimere, dimere
Matiro
Matiremo
Ameno
Omenare, imperavi, emulari
Ameno
Omenare, imperavi emulari
Ameno dom
Dori me reo
Ameno dori-me
Ameno dori-me
Dori me am Ameno Ameno…

Tradução:
Revela-me. Tira-me. Revela-me. Revela-me. Tira-me. Tira-me agora, soldado. Revela-me. Revela-me. Revela, imperceptíveis sinais, Revela! Tira-me daqui. Absorve-me. Toma-me. Descobre-me e oculta-me. Descobre em mim imperceptíveis sinais. Descobre-me. Diga-me se a Guerra se parece com o espírito de um mártir. Revela pequenos sinais de imolação, Imperceptíveis, sinais de imolação. Abre. Abre o silêncio. Revela-me. Leva-me. Revela-me. Leva-me. Revela-me, soldado. Leva-me daqui....

(Ameno, uma música dos ERA numa tradução aproximada já que este dialecto é uma mistura do Latim e de uma língua antiga, pagã, usada em reuniões secretas de uma tribo do Cathar).

domingo, 13 de maio de 2007

Guilty Pleasures...

Há quase um ano atrás a Senhora Assombração perguntava pelos nossos. Eu não me lembrei de nenhum, na altura mas hoje (que ele vem cantar a Portugal pela primeira vez) não posso deixar de me lembrar o que eu adorava ouvir estas músicas back in the eighties...


George Michael, Father Figure



George Michael, Like Jesus to a Child


terça-feira, 8 de maio de 2007

Olha, rifem-me!

Não me digam nada! Nem ponham os pés neste post, ok?!
EU ESTOU IMPOSSÍVEL DE ATURAR!
Toda a gente quer ser simpática e toda a gente me diz: Deixa lá que SÓ falta um mês para o estágio acabar mas o problema é mesmo esse... falta um mês.
Péssima mãe porque não consigo dar assistência aos meus filhos (parece que nos últimos tempos a única coisa que lhes digo é: "saiam daqui que a mãe precisa de trabalhar"), péssima professora porque não consigo preparar as minhas aulas como desejava, péssima dona de casa porque enfim, nem vou dizer em que estado tenho a casa, péssima em tudo.
Para ajudar à festa os professores do estágio anteciparam todos as entregas de trabalho uma semana porque deram AGORA conta do volume de trabalho que realmente nos pediram e têm medo de não os conseguirem ver com a rapidez desejada.
Numa das disciplinas é suposto apresentar-se trabalho desenvolvido com os alunos e eu tenho perdido aulas atrás de aulas... primeiro porque foi feriado numa 3ª, depois porque foi feriado numa 4ª, depois porque tive tive de faltar por ter o M e o L. com uma gastroenterite, depois porque tive de faltar porque tive a M. cheia de febre...
Se não venho para a escola fico inquieta, e chateada porque não desenvolvo o trabalho que preciso com os alunos para apresentar no estágio. Se venho para a escola sinto-me mal porque deixo os meus filhos doentes sem mim..
Hoje é o dia da péssima mãe. É como me sinto...
Como TINHA MESMO de vir trabalhar deixei a M. a vomitar, em casa, de manhã. Mesmo assim o L. levou-a à escola porque também ele já faltou uma semana por ter estado doente.
Só espero que seja apenas uma indisposição porque se ela apanhou, agora, o mesmo virus do pai e do irmão e tenho de ficar mais uma semana em casa tou tramada...
Um mês... já só falta um mês e isto está bonito...

segunda-feira, 7 de maio de 2007

Dia da Mãe

«Mãe, tu és a minha flor»...
Foi com esta frase num postalinho que os meus dois pintinhos me acordaram hoje.
Amanhã, se tiver tempo, logo mostro o que me ofereceram.
Ai que beijos bons!

domingo, 6 de maio de 2007

A MINHA Mãe

Hoje é dia da mãe e eu não vou estar com a minha.
Ela tem enxaquecas fortíssimas há anos. Nessas alturas tem de ficar no escuro, não come, não fala, vomita imenso. Duram um a dois dias e são completamente incapacitantes. Os médicos despacharam o assunto com um diagnóstico de Síndrome de Ménière, um desiquilíbrio no ouvido interno. Eu estou farta de procurar saber sobre o assunto e não creio que seja isso porque alguns dos sintomas principais e indiciadores de tal patologia nunca se verificam: Ela não fica surda, não tem vertigens súbitas, não ouve ruídos nem zumbidos, nunca sentiu os ouvidos tapados nem pressão nos mesmos. Simplesmente acorda nesse estado, com uma enxaqueca enorme, inexplicável, tem intolerância à luz e vómitos todo o dia. Há dois anos que não lhe acontecia e, hoje, acordou assim.
Nem o telefone pode ouvir e o nosso diálogo resumiu-se a:
-Filha, outra vez...
-Não te preocupes, mãe, trata de ti.
-Tenho pena...
-Não te rales, jantamos noutro dia. Tira a chave da porta. Adoro-te. As melhoras.
Não precisamos de mais. Nestas alturas ela não quer ninguém por perto e eu, lá, não faço nada.
A minha mãe é um doce. Amo-a. Ela nem conhece este meu canto mas, como não vou poder estar com ela, não me apeteceu deixar de dizer isto.

sexta-feira, 4 de maio de 2007

Expliquem-me!!!

Vá, digam-me lá porque é que logo este ano em que eu queria oferecer um relógio à minha mãe (que os adora e colecciona e é quase tão louca por eles como uma pessoa que eu cá sei...) o relógio da Swatch, My Beloved Mom, comemorativo do evento é tão feínho?!
Tá tudo contra mim? Só pode!!!
Lembro-me que houve um ano em que ele era bem bonito, assim nacarado, cor de pérola com umas flores bordadas a vermelho. Gostei muito desse (e a mãe também) mas o deste ano?! Santa Paciência! Então ninguém avisou a Swatch que nos anos em que eu os quero comprar eles tem de ser bonitos?!
Grrrrrrrrrrrrrrrr Tou tramada!

quinta-feira, 3 de maio de 2007

From here to nowhere

O fim de semana prolongado não foi grande coisa.
Os planos eram muitos. O L. ia adiantar as obras dos arrumos e eu iria dar-lhe alguma assistência e distrair os miúdos como podia.
Na 6ª, já a antecipar alguma queixa 'do tantos dias e não vamos a lado nenhum' resolvêmos começar as miniférias com um jantar fora. Desgraça...
Pai e filho com gastroenterite viral desde sábado de manhã. Completamente prostrados.
Eu e a M. escapámos, felizmente, pois 'isto' é contagioso. No domingo até a pus a andar de casa para fora, com uns amigos, para evitar todo o contacto possível. Só a fui buscar à noite. Sair um bocadinho, tomar café e estar com os amigos que a receberam soube-me bem para me distrair. Só foi pena o 1-1...
O M. só na 3ª é que saiu da cama e começou a melhorar. O pai foi mais afectado.
Quando as coisas começavam a melhorar fica a M. com39 de febre... mais uma noite perdida. Felizmente é só uma constipação.
Ontem, consegui tirá-los de casa e levá-los a todos ao médico. O pai continua 'de molho' mas o M. já conseguiu ir à escola hoje.
Para 'ajudar' ainda mais ao meu estado de stress total, o meu Pc avariou de vez. Já há algum tempo que resolvia bloquear quando lhe dava na veneta mas agora calou-se de vez e nem arranca. Fui salva por um irmão, com um portátil disponível, de um completo ataque de nervos quando me falta só um mês para acabar o estágio e tenho 4 trabalhos por fazer...
Custou-me perder estes 4 dias, custou-me ver o galinheiro todo de baixa, custou-me perder a 'recepção de boas vindas' a uma amiga que esteve longe e voltou, custou-me não conseguir fazer nada...
Estou farta de cházinhos, de canjinhas e de subir e descer as escadas 400 vezes por dia.
Os únicos pontos positivos foram o ter partilhado os meus dias com a M. caninita que não me larga e foi o ter visto a primeira season do Weeds TODA DE SEGUIDA (acreditem que é possível!).
Primavera à séria, precisa-se!

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Obras novas

Desde que, há 10 anos, viemos para aqui viver temos feito tantas modificações na casa que, agora, me iria custar pensar em sair. Pelo menos para já.
Já perdi a conta ao que fizémos sendo que a obra que mais nos desafiou foi, sem dúvida, a modificação da escada interior, que passou de mármore, para madeira. Andar a fazer moldes dos degraus com umas folhas enormes, uma barriga de 8 meses e um pintinho de 2 anos atrás, para depois os marcar em pranchas de madeira não foi 'pêra doce'.
A casa não está perfeita nem de longe e há imensas outras coisas que desejávamos fazer. Sobretudo eu. Há coisas que o L. não liga e que me fariam saltar de contente (como mudar os mosaicos e os azulejos da cozinha e pôr chão de madeira na sala) mas o dinheiro ainda não chegou para tudo. Outras há que têm vindo a ser eternamente adiadas (como tratar das portadas que são de madeira...) mas o tempo também ainda não conseguiu esticar mais.
Este ano estamos dedicados aos semi-exteriores. lol Vamos finalmente acabar as traseiras, tratar da relva e isolar o muro para podermos fazer aí refeições sossegados (por sossegados entenda-se: sem a companhia da vizinha-varredora que é amorosa mas como não tem ninguém com quem falar, quando nos apanha, cola-se durante a nós duas horas).
Nas últimas obras, o L. avançou um pouco a garagem de modo a poder dividi-la, por dentro, em duas (note-se que, cá em casa, uma garagem jamais terá serventia de garagem). Agora vai concluir a parte traseira: uns arrumos onde haverá espaço não só para arrumar a tralha sasonal que anda sempre a tropeçar em nós (casacos grossos, coisas de praia, malas de viagem, etc) mas também terá espaço para nós desenvolvermos alguns passatempos que gostamos sem ter obrigatoriamente que arrumar tudo quando temos de fazer outra coisa (o que acontece dentro de casa).
Como nunca 'fazemos a pega pelo lado mais fácil', o L. inventou logo uma nova mini casa de banho, no fundo desses arrumos. Já comprámos os mosaicos para o chão e no próximo fim de semana... mãos à obra!
Só penso no que faríamos se tivessemos realmente dinheiro!
:P

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Dancing, dancing!

Ok, admito que pode até parecer falta de modéstia mas já que partilho as 'partes menos boas' com vocês, também posso partilhar as minhas pequenas alegrias.
A Psicologia da Educação já está!

"Está de parabéns, gostei do trabalho, tem uma síntese teórica muito bem elaborada e discute implicações educacionais. A nota que lhe atribuí foi de 17."

Yes! Done! Done! Done!
Agora vou para ali cantar uma música antiga e bem foleira do
Leo Sayer que só os 'velhos' como eu se devem lembrar:
I feel like dancing, dancing
dance the night away,
I feel like dancing, dancing...
Uuuuuuuuh.
Note to Self: não tomes os comprimidos, não...

segunda-feira, 23 de abril de 2007

23 de Abril

Feliz Dia Mundial do Livro!

Ilustração: Bookshelf, Colin Thompson
(do seu livro: How To Live Forever)

Boas compras!

Nesta data celebra-se também o Direito de Autor, um direito que é reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos do Homem (artigo 27º) e pela Constituição da República Portuguesa (artigo 42º). O direito de autor funciona simultaneamente como garantia de defesa do património e dos valores culturais.
O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor é celebrado a 23 de Abril em 100 países. A data foi instituída pela Conferência Geral da
UNESCO para prestar tributo aos grandes autores da literatura mundial que nasceram ou morreram neste dia. É o caso de Cervantes, Shakespeare, Inca Garcilaso de la Vega e Vladimir Nabokov. A celebração procura também encorajar as pessoas, especialmente os mais jovens, “a descobrir o prazer da leitura e a respeitar a obra insubstituível daqueles que contribuíram para o progresso social e cultural da Humanidade” (UNESCO).

terça-feira, 17 de abril de 2007

Vila Viçosa, no regresso.

segunda-feira, 9 de abril de 2007

De volta

Foram dois dias cansativos mas muito bons. A companhia era a melhor, Amigos do coração.
Com crianças eramos 13 ao todo e elas portaram-se valentemente andando dois dias inteiros a pé e com poucas queixas.
É bonito ver-se o património assim preservado e exposto. Quantas vezes, nestes dias, olhámos nós para algumas ruínas conservadas, por debaixo de prédios (construídos em arcada só a partir do 1º andar) e pensámos: se fosse em Portugal era uma terraplanagem na certa, toca de esconder e vai de construir lojas porque isto é espaço que rende dinheiro...
Gostei sobretudo de ver o Teatro Romano e o Museu. Os miúdos adoraram o anfiteatro e o circo, sonhando com lutas de feras e corridas de quadrigas. Sonhos alimentados por 3 (pais) 'amantes' da cultura romana que lhes encheram a cabeça de lendas e histórias.
Apanhámos, sem prever, uma procissão da Semana Santa e foi engraçado ver a reação dos miúdos aos encapuçados. Mais um episódio a alimentar as histórias maravilhosas que escutaram nesses dois dias.
Não é sítio que se volte recorrentemente. Deixa recordações bonitas mas fica visto.
Pontos negativos: A falta de afabilidade dos espanhóis e o preço da alimentação.
Amanhã voltamos à faina :)

domingo, 1 de abril de 2007

Mérida, Ciudad Patrimonio de la Humanidad

Mañana, 6am, me voy. Regreso martes o miércoles. Hasta!

segunda-feira, 26 de março de 2007

Sapatos...

... só para variar os queixumes!

Lindinhos!
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
O meu pai dizia, na brincadeira para se meter com a minha mãe, que o grau de loucura de uma mulher se media pelo número de sapatos que ela tinha mas, no caso da minha mãe, o indicador era o número de malas. A minha mãe adora malas, ainda hoje. Lembro-me de ser miúda e de não abrir uma porta dum roupeiro em especial, sob pena de me caírem uma série delas em cima e de as ter de arrumar depois. Eu não herdei o gosto exagerado pela posse de diversas malas mas, em contrapartida gosto mesmo é de sapatos. Não os possuo em número abundante e ainda por cima compro poucos porque eles duram-me imenso tempo mas, se tivesse possibilidade de ter todos os que gostaria, acho que igualariam o número da Senhora Imelda.

Gosto de percorrer com os olhos as inúmeras montras de sapatos que encontro, não apreciando, 90% das vezes o que se faz/vende.

Finalmente, houve alguém que ouviu os meus recôndidos desejos e decidiu começar a fazer pares de sapatos em que um NÃO é igual ao outro. Vocês não imaginam há quanto tempo eu sonho com isto... muitas vezes em silêncio, não se vá dar o caso de me acharem doida de todo.

A Camper lançou a colecção Twins. Ainda não estão todos 'dentro dos meus parâmetros' mas é um princípio. Quando me chamarem para sua gestora de produto lá chegarão!

Por enquanto alguns vão fazendo as delícias dos meus olhos. Os primeiros, lá em cima, em destaque, são mesmo os meus preferidos mas se alguém me quiser o ferecer algum 'destes outros', então é o 36 saxafôr!




Counter

  © Blogger template 'Personal Blog' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP