segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Incongruências...

A 15 de Dezembro (na última semana de aulas portanto) batem-me à porta da sala 302:
-Professora, é para pedir que, quando puder, vá à secretaria dos professores...
Já na dita secretaria:
-A Professora tem uma falta.
Eu: -Como?
-A professora deu uma falta sem pedir autorização.
Eu (um pouco confusa): -Como assim? Eu só dei uma falta e já foi a 5 de Novembro.
-Sim, é essa! A professora não pediu autorização para faltar.
Eu: -Bem, não, de facto não pedi autorização. Tive uma pequena indisposição, uma gastroentrite ligeira ou lá o que lhe queira chamar, passei a noite de 3ª feira a vomitar e, na 4ª, não estava em condições para vir dar aulas às 8 da manhã.
-Vê?! Lá está! Deu uma falta sem pedir autorização prévia!
Eu (um pouco exasperada): -Bom se eu lhe estou a dizer que passei mal a noite e que não estava em condições de vir dar aulas é porque não foi propriamente uma situação planeada para eu poder pedir autorização previamente, não acha?
-Pronto, mas tem de pedir!
Eu (a pensar que me estavam a gozar): -Ai sim? Então e como é que eu adivinho? Vou passar a receber algum SMS do Além ou da própria Senhora Ministra (o que vai dar no mesmo), a dizer que é melhor telefonar para a escola porque no dia seguinte vou ficar doente?
-A Professora está a brincar. Não me está a perceber.
Eu: Não, de facto não estou a perceber. Ora bem, o Senhor chama-me a 15 de Dezembro para me dizer que eu tenho de pedir autorização para ter faltado no dia 5 de Novembro, dia em que eu não fazia ideia que ia estar doente.
-Eu explico melhor, a professora tem de ir comprar um papel ao PBX que diz "Pedido de Autorização para Falta Imprevista" e tem de o entregar agora.
Eu: Ah, bom, estou exclarecidíssima! Portanto vou AGORA comprar um papel para pedir autorização para faltar há um mês atrás...
-Isso.
Eu: Só para ter a certeza que estou a perceber mesmo bem... hoje é dia 15 de Dezembro e eu, hoje, vou pedir autorização para faltar a dia 5 de Novembro.
-Certo!
-Bem, só me resta esperar que o Presidente do Conselho Executivo autorize a minha falta senão eu não posso já ter estado doente, não é?...
-Pois isso não sei, só sei que a Professora tem de entregar o papel.
Eu: Ah bom, ok, o belo do papel! [Ouvem-se ecos dos Gato Fedorento na minha cabeça: Qual papel? O papel! Mas qual papel? O papel!]
*suuuuuuuuuuspiro*

NOTA: Para aqueles que estão FORA do sistema de Ensino português e que julgaram que este post era uma anedota... DESENGANEM-SE!

9 Sementes:

Tânia 12:17 da tarde  

Muito bom! Mais uma daquelas em que a realidade ultrapassa a ficção! Haja paciencia...

Ana O. 1:00 da tarde  

LOLOLOL! É melhor trazeres outro papel, não vá teres de justificar alguma falta deste mês, no mês que vem! :-P

sofia 1:44 da tarde  

se não fosses tu a contar, eu juro que pensava que era mentira.

beijo

fantasma 3:20 da tarde  

Não sei se ria não sei se chore!!

Buzas 3:45 da tarde  

Bolas, isso parece a tropa!
É uma questão de aparências, não leves a mal. Afinal que mal tem pedires a um superior hierárquico que te autorize uma falta que tu já deste? É que se não o fizeres até pode dar a ideia que faltaste porque estavas doente, porque não te sentias em condições... Isso é autonomia a mais. Não. Tu faltaste porque o director autorizou. Fica melhor...
Com o que é que se combate a idiotice? Com lógica não parece funcionar, não é?

Flor 6:02 da tarde  

Realmente, parece mesmo um sketche saidinho dos gato fedorento :p

Cenoura 12:42 da tarde  

É amigos, infelizmente esta é a realidade. É com situações deste género que convivemos DIARIAMENTE nas escolas públicas.
No meio de tanto papel cada vez me sobra menos tempo para preparar aulas e cada vez tenho mais turmas, mais níveis e lecciono mais disciplinas diferentes.

Loca 2:32 da manhã  

Eh eh.... e ele autorizou?
:))

WOLKENGEDANKEN 8:18 da tarde  

Acabo de descobrir o teu blog, colega. Fascinante :))

Counter

  © Blogger template 'Personal Blog' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP