quinta-feira, 3 de abril de 2008

Precisam-se de mais mães assim!

Ontem tive uma experiência nova.
Em 10 anos de serviço nunca tive uma turma tão má como um oitavo ano que tenho este ano. Os miúdos, individualmente, são amorosos. Gosto de todos e gostava de conseguir chegar mais a eles, coisa que é muito difícil quando se dá uma disciplina (90minutos) que aparece uma vez por semana no seu horário. Em grupo são uma desgraça.
Regras não há. Respeito uns pelos outros é coisa da pré-história. Um é hipercinético, dois são hiperactivos, metade apresentam uma constante expressão entediante de "Oh Setôra, despache lá isso" e o silêncio de outros dois incomoda-me...
Na reunião do final do segundo período pedi, ao Director de Turma, a data da reunião com os Encarregados de educação porque eu queria estar presente. Queria ver o 'lado de lá' para tentar perceber o que se passa com estes miúdos. Quando me 'chegou' a pauta da turma às mãos verifiquei sem surpresa que havia 13 negativas a matemática, 11 a francês, 13 a história, 10 a geografia, 6 a Ciências, 8 a Físico-química, 5 à minha disciplina, 5 a Inglês... Duma turma de 26, 8 têm notas para reprovar o ano neste momento.
Ontem estive com os pais das 18:30 às 21:30. Eu, o professor de Geografia (que é o director de turma) e a professora de matemática. Tive pena que não viessem mais professores da turma mas compreendo-os perfeitamente. 3 horas extra, à noite, vezes 6, 7, 9 ou 11 turmas é incomportável...
Bom, dos 26 alunos apareceram 15 mães (curioso que embora a maioria os miúdos reconheçam mais autoridade aos pais, são sempre as mães as Encarregadas de Educação). Também tive pena que não viessem mais, sobretudo porque, como de costume, aquelas que mais falta lá fazem são as que nunca aparecem...
Gostei bastante de falar com todas, abertamente. Acredito que custe muito ouvir e tomar consciência de que os seus filhos são sejam exactamente o que elas pensam e desejam quando não se encontram debaixo da sua alçada mas é delas que precisamos se queremos chegar a algum lado. Numa altura em que a opinião pública considera que tudo o que acontece é por culpa dos professores, gostei que elas tivessem assentido que este é um trabalho conjunto e que não cabe unicamente aos professores motivar, interessar e fazer trabalhar os alunos quando a estes nada interessa.
Foi muito bom. Uma experiência a repetir.

2 Sementes:

Ana O. 9:26 da manhã  

Se bem que haja professores que deveriam estar a fazer tudo menos a dar aulas (tive muitos desses), eu acho que cada vez mais a culpa é dos pais que não têm tempo e nem paciência para educar as crianças. Muitos parece que têm filhos porque fica bem ou acham que são um brinquedo em que se pega só quando se tem vontade! :-s

Buzas 12:19 da manhã  

Sei bem do que falas. Tenho o meu com essa idade e a turma dele é assim também. Todos juntos são de uma indisciplina a toda a prova. Eu acho que para além da idade ( os rapazes parece que "acordaram" todos este ano), o pior é que se conhecem todos muito bem. Há entre eles uma grande cumplicidade, nem precisam de falar para se entenderem. Não é fácil, não. Ainda por cima , muitos pais demitem-se da tarefa de educar e ensinar boas maneiras ( muitos sabem lá o que isso é ...) e partem do principio que será a escola a fazê-lo. Sabemos bem o resultado :(
Ás reuniões por acaso até costumo ir eu, porque tenho normalmente mais disponibilidade, mas também te digo que os poucos pais que aparecem entram mudos e saiem calados. As mães são muito mais interventivas.
Gabo-te a "paciência" para a profissão. Mesmo.

Counter

  © Blogger template 'Personal Blog' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP